Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.
top of page
  • labctsita

Alunas/os do 1º ano constroem projetos com escola pública e cooperativa de reciclagem

Foto 1 - Alunas/os do ITA e da Escola Nelson Monteiro e as/os docentes responsáveis pela disciplina

Fonte: acervo LabCTS


“O projeto foi a melhor dinâmica acadêmica de que fiz parte no semestre.

Nunca tinha tido algo parecido, no qual pude ajudar a melhorar

algo no contexto real de vida de pessoas a partir do

próprio trabalho desenvolvido em grupo.”

(Gustavo Mariante, aluno)


Encerrando o semestre, alunas/os da disciplina Tecnologia e Sociedade (HUM-70) apresentaram, em 08 de julho, os projetos que construíram em parceria com a Escola Estadual Nelson Monteiro e a cooperativa de resíduos eletrônicos Coopertech.


Os projetos são parte obrigatória da disciplina e seguem a metodologia de extensão engajada que o LabCTS vem desenvolvendo e aprimorando há anos. Tal metodologia busca enfatizar a co-construção e o diálogo de saberes ao longo de todas as etapas do projeto (desde a identificação das demandas/dores até a implementação da solução final), com vistas a contribuir com o empoderamento da entidade parceira (no caso, a escola e a cooperativa).


Foto 2 - Alunas/os e diretora da Escola Nelson Monteiro

Fonte: acervo LabCTS


“Nós ficamos muito honrados com a parceria desse conceituado Instituto [...] porque a escola é um território de vivências. Ter os alunos da Universidade fazendo pesquisa com os alunos do Ensino Médio traz troca de possibilidades e de oportunidades. Ao conhecer os espaços e conversar com nossos alunos para propor soluções possíveis de acordo com a realidade que temos, fizeram com que se sentissem pertencentes à escola e ao projeto. Valorizando assim as soluções apresentadas. O acompanhamento dos professores durante todo o processo fez a diferença no resultado.” (Cláudia Renata, diretora da escola Nelson Monteiro)


Nesta edição, foram desenvolvidos dezenove projetos no total, doze com a escola e sete com a cooperativa:


ESCOLA NELSON MONTEIRO

  • Automação da irrigação de um jardim vertical

  • Campanhas de arrecadação de fundos para financiar atividades paradidáticas da escola (i.e., visitas a museus, empresas etc.)

  • Construção de um bicicletário

  • Controle digital de acesso das/os alunas/os à escola

  • Criação de ambiente de descanso para as/os alunas/os na escola

  • Gincana semestral de reciclagem, gerando fundos para o financiamento de atividades paradidáticas e eventos coletivos, assim como para estimular a informação e a consciência ambiental

  • Manual de carreiras para as/os alunas/os da escola

  • Melhoria em uma planilha utilizada pela coordenação/direção da escola, que compila dados sobre as/os alunas/os

  • Organização do acervo da biblioteca da escola

  • Parceria da escola com a Coopertech para a coleta e venda de material reciclável

  • Sistema de som da escola: substituição da sirene + conexão das caixas do refeitório com a central

  • Trabalho de cuidado da saúde mental das/os alunas/os da escola


COOPERTECH

  • Campanha de marketing para atrair mais doadoras/es para a cooperativa

  • Criação de certificação ambiental, a ser fornecida pela cooperativa a empresas/empreendimentos interessadas/os

  • Criação de um museu físico e digital a partir de material antigo/ emblemático mantido pela cooperativa

  • Programa de fidelidade ambiental: parceria entre a cooperativa, empresas selecionadas e clientes/doadores com diferentes ganhos para todos

  • Soluções de logística que otimizem as coletas da cooperativa

  • Fundição do alumínio e criação de produtos à base desse material

  • Máquina de descascar fios de cobre


“Fazer um projeto de engenharia voltado para atender às necessidades de outrem foi muito recompensador, pelo fato de gerar um impacto positivo em uma comunidade, agregando valor ao projeto. Ademais, pude desenvolver e evoluir habilidades e competências fundamentais para um profissional engajado, como empatia, gestão de tempo e de pessoas, trabalho em equipe, comunicação, além da parte técnica.” (Brenda Figueiredo, aluna)


Foto 3 – Alunos do ITA – grupo da fundição do alumínio

Fonte: acervo LabCTS


Vários desses projetos já estão concluídos. Outros poderão ser finalizados pelos grupos das duas novas turmas que estão cursando a disciplina HUM-70 neste segundo semestre.


Para o LabCTS, os projetos são imprescindíveis por três razões:


1. Eles representam um compromisso inegociável da Educação Superior com a transformação das várias realidades vulnerabilizadas presentes em nossa sociedade – extensão engajada;


2. Eles são caminho insubstituível de capacitação de nossas/os alunas/os para a prática engajada da engenharia (ou seja, para uma prática com compromisso socioambiental) – ensino;


3. Eles constituem um meio privilegiado para identificarmos coisas sobre as quais precisamos saber mais (p.e., como praticar extensão e engenharia que promovam empoderamento) e para aprendermos sobre essas coisas com os grupos ou comunidades parceiras – pesquisa engajada.


Foto 4 – Representantes da Coopertech

Fonte: acervo LabCTS


“Sem dúvidas, uma experiência ímpar. O projeto foi uma ótima oportunidade para desenvolver habilidades como gestão de projetos, trabalho em equipe e organização de prazos, bem como nos trazer uma visão a respeito de alguns problemas enfrentados diariamente por pessoas e instituições, problemas os quais podem ser solucionados com uma dose de esforço, de criatividade e de engenharia.” (Grupo do projeto do controle digital de acesso à escola)

23 visualizações0 comentário
bottom of page